sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Porque eu também tenho um closet a abarrotar #5




O #4 foi publicado há um ano atrás.
A modos que está quase a transbordar mas, nem por isso, lhe dou uso, ao meu querido closet.
Decidi contrariar a coisa, com uma fatiota natalícia, lindinha lindinha, para a consoada que está mesmo aqui à porta.
Por mim, tinha de acrescentar um casacão de lã, daqueles bem quentes. Que sou friorenta como o caraças. Mas, pronto, fica a ideia.
...
E a minha palermice.
...
E o meu corte de cabelo miserável.
...
E uma das maçanetas da minha sala.

Arrepio-me

sempre que me sussurras aquelas duas palavras. Com os lábios, é certo. Mas também com as mãos a percorrerem-me a pele. Com esses olhos inconfundíveis de tão teus. Com todo o teu corpo encostado ao meu, no melhor abraço de sempre. Aquele abraço que se regenera e se torna único cada vez que os teus braços me conduzem a ti, me aconchegam no teu peito, me mostram que não há caminho melhor do que aquele que nos junta.

és minha.


A primeira vez que as disseste, foi com uma convicção quase bruta que tanto teve de surpreendentemente assustador como de tremendamente delicioso. Repetiste-as, uma e outra vez, naquela noite. Não me apercebi muito bem, na altura, mas foi bom ouvi-las. Sei, agora, que foi melhor, ainda, senti-las. Aquelas duas palavras saídas da tua boca, vindas de dentro do teu ser (pouco me importa se foi do coração), acalentaram-me a alma. E assim continua a ser, sempre que as repetes.


[seis de Julho de dois mil e quinze]

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Proposição desarrazoada de uma pobre pecadora




Chegou a Hora, 
começa agora,
o indesejado Inverno.
Oferecia a minha alma ao Diabo, 
cometia, já, esse incorrigível pecado,
para saborear um Verão eterno.

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Private Joke Blogosférica #21



Podias ter escolhido uma qualquer outra heroína, princesa, ou lá o raio.
Mas, não. Não resististe à vontade de ser malvado comigo.
Tiveste de citar aquela que ostenta um enorme cabelão.
Aquela que tem cabeleira para dar e vender.
Quiseste armar-te em vilão
e deixar-me aqui a remoer.

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Eles pedem e eu obedeço #13 - Paulo Luis


Decerto já fartinho de tantas fotos das paisagens da Tailândia, o Paulo Luis pediu-me, num comentário, se não lhe podia mostrar um prato de comida tailandesa. 
E eu, que praticamente só vivo para alegrar a malta que por aqui passa, não podia recusar tal pedido.

Por isso mesmo, aqui fica, não um, mas uma catrefada de pratos que comi por lá, assim como uma foto onde se pode ver a comida que se vende na rua.



Entradas:




Pratos principais:




Comida de rua.



Se também estiverem interessados em ver sobremesas, é só dizer.

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Making of*





Parece que foi ontem, e afinal, hoje, já termina o primeiro período.


* deste post AQUI.

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Koh Samui #7 (e último)











nota: todas as fotos são minhas. tenho noção da enorme qualidade das mesmas. assim sendo, por mais tentador que possa ser, contenham o vosso ímpeto. ou seja, nada de se aproveitarem destas fantásticas imagens para renovar as páginas dos prospectos das agências de viagem. era o que faltava.

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Koh Samui #6

















nota: todas as fotos são minhas. tenho noção da enorme qualidade das mesmas. assim sendo, por mais tentador que possa ser, contenham o vosso ímpeto. ou seja, nada de se aproveitarem destas fantásticas imagens para renovar as páginas dos prospectos das agências de viagem. era o que faltava.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Koh Samui #5
















nota: todas as fotos são minhas. tenho noção da enorme qualidade das mesmas. assim sendo, por mais tentador que possa ser, contenham o vosso ímpeto. ou seja, nada de se aproveitarem destas fantásticas imagens para renovar as páginas dos prospectos das agências de viagem. era o que faltava.

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

És minha


dizes-me tu, repetidamente, 
a qualquer hora do dia.
Num sussurro estonteante, 
afirmas o óbvio, 
com medo que deixe de o ser.

Sou sim. Indiscutivelmente.
Tão tua quanto tu és meu.
Porque o universo não dorme.
Como também não dorme o meu corpo,
quando, sorrateiramente, o despertas e o provocas.
Quando não lhe dás descanso
enquanto não te provar,
 por a mais b,
o quanto é teu.

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Banguecoque #4












nota: todas as fotos são minhas. tenho noção da enorme qualidade das mesmas. assim sendo, por mais tentador que possa ser, contenham o vosso ímpeto. ou seja, nada de se aproveitarem destas fantásticas imagens para renovar as páginas dos prospectos das agências de viagem. era o que faltava.